fbpx
Перед большинством заёмщиков всегда встаёт вопрос, какую организацию-кредитора выбрать? На рынке очень много предложений оформить займ онлайн. Как не попасть на мошенников, с которыми придётся расплачиваться всю оставшуюся жизнь? Конечно, в подобной ситуации лучше всего обратиться к профессионалам: credit-n.ru/zaymyi.html. Именно на этом ресурсе вы сможете получить профессиональную и бесплатную консультацию по всем вопросам займов, микрозаймов и кредита. Именно здесь вам помогут оформить онлайн займ на карту без залога и поручителей в надёжной микрофинансовой компании.

“Lábios como a rosa, cabelos como o ébano, pele branca como a neve” é mais do que necessário para descrever uma das princesas mais belas, ou melhor, a mais bela dos últimos tempos no cinema. Muitas versões foram cinematografadas do conto homônimo dos Irmãos Grimm. Branca de Neve (1812-1822) já foi encenada, filmada, animada e poetizada. Muitas versões, cada uma apresentando uma variante de Branca: temos aquela princesa meiguinha do clássico Branca de Neve e os Sete anões (1937), da Disney, a corajosa e divertida Branca de Espelho, espelho meu (2012), de Tarsem Singh, e talvez a menos popular e fugitiva em Branca de Neve e o Caçador (2012), de Rupert Sanders.

blancanievesh

Branca de Neve está impregnada no imaginário popular e, assim, sua figura não se esgota, por mais vezes que seus filmes sejam exibidos ou cresça o número de produtos vendidos no mercado que remetem a essa personagem. A Branca de Neve dos Grimm se modificou conforme a demanda de seu público, e por isso esse conto se reconstrói a cada versão adaptada, embora sua essência permaneça. A última versão de Branca, e quem sabe a mais bela e mais inovadora, é a do filme Blancanieves (2012), do diretor espanhol Pablo Berger. Totalmente diferente dos últimos filmes da princesa, este mostra uma atmosfera gótica em meio ao flamenco.

A novidade não é que o filme foi filmado em preto e branco ou é mudo. Nessa nova versão, Branca além de heroína da história é toureira e dança flamenco. Uma personagem em que o hibridismo foi chocante. Esqueça a princesa medrosa e indefesa, pois coragem e ousadia é o que não falta na personagem incorporada por Macarena Gárcia. Todos os elementos estão presentes: apesar do p&b, é impossível não se apaixonar pelos lábios carnudos e vermelhos de Branca e não ficar hipnotizado por seus olhos de jabuticaba tão vivos. Ela emana encanto em cada cena, seja na tourada ou na dança.

blancanieves-2012_71740

Conto de fadas sem a madrasta má, não é conto de fadas. O problema é que na versão de Berger, a madrasta má é Maribel Verdú, que também é tão linda e ousada que fica difícil não se cativar pela personagem. Os anões não poderiam faltar, eles são uma trupe circense de palhaços de tourada que impulsionam a carreira de Branca, que é a filha renegada do famoso ex-toureiro Antonio Villalta (Daniel Giménez Cacho).

O filme todo é uma delicadeza de cenas, a fotografia é bem feita e provoca a curiosidade do expectador em olhar com mais atenção cada detalhe. Uma versão gótica desse clássico da história oral, agora ganha um toque mais caliente e ousado em cada passo de flamenco e retira olés e suspiros de quem vê Branca. Não falta nada, aqueles que se esqueceram da maçã, não se iludam, pois a vermelha e miraculosa também aparece, assim como o príncipe, é claro, pois conto de fadas sem beijo perderia todo seu encanto.

 

Quando? Em cartaz e também disponível em locadora e internet

Onde? Em São Paulo: Reserva Cultural

Quanto? Preços variados (inteira e meia)

Quer receber nosso conteúdo?
Receba a nossa newsletter

Receba todas as atualizações da SOUL ART!