fbpx

cazuza2

Os ruídos urbanos, os versos descarados e o bocado de amor exagerado deixado para trás. Cazuza, que lembra a gente, na brincadeira, da falta de espaço para o sonho, para a vida, para o amor. Vagabundo que só, sempre assumiu os pecados da carne com a coragem invejada por muitos e com a vergonha que não conheceu, ou ignorou pela caretice.

Fato que muitas canções do eterno poeta sejam hinos e o sonho de muitos garotos e garotas do Brasil. Fato também que exista um desconhecido lado de Cazuza que a vida não deixou tempo para cantar.

A partir do convite de Dj Zé Pedro, que já reúne uma série de discos tributos à Cazuza em sua gravadora – Jóia Moderna -, a jornalista Lorena Calábria é responsável pela curadoria de Agenor – Cansões de Cazuza. Uma coletânea de músicas lado B, algumas do começo da carreira do cantor.

As palavras inesquecíveis e imortais foram revividas pela surpreendente liberdade criativa de seus novos interpretes: Do Amor, Tono, China, Domenico, Felipe Cordeiro, Wado, Botika, Kassin, Letuce, Silva, Bruno Cosentino, Mombojó, Mariano Maronatto, Qinho, Catarina dee Jah, Brunno Monteiro e Momo.

As músicas do disco, disponibilizadas gratuitamente para download no dia 07 deste mês,  carregam uma diversidade incrível. Minhas preferidas: Gatinha de Rua, interpretada pelo quarteto Do Amor, traz a simplicidade urbana em uma mistura boa de banda, ruídos, voz, rua e de vida. Amor, amor vem com um samba-reggae de Tono, adocicado pela voz de Ana Cláudia Tomelin. Culpa de Estimação explora o espírito rebelde, jovem, pop e praiano no sotaque pernambucano de China. Vingança Boba vem futurística e rasteira, enquanto Tapas na Cara estremece no swing leve da lambada e carimbó paraense de Felipe Cordeiro. Finalmente, Down em Mim aparece com Wado, sombria e depressiva como deveria. Ritual estremece no instrumental com Botika e Não amo ninguém surpreende, teatral e com a sonoplastia digna de um espetáculo de extremo drama. Blues do iniciante encerra dignamente no violão folk, e na voz sutil  e cuidadosa com os versos, de Marcelo Frota, o MoMo.

Confira agora as músicas da coletânea.

Quer receber nosso conteúdo?
Receba a nossa newsletter

Receba todas as atualizações da SOUL ART!