fbpx

O dia está cinza e não temos sol, mas quem se importa quando temos boas músicas para acompanhar e ditar o ritmo de nossos passos? Boas músicas servem de combustível para manter nossa mente ativa e criativa, sempre em frente, assim como um carro em alta velocidade e sem a opção de reduzir marchas. É com boas músicas que nos lembramos de bons momentos, e como bons momentos devem ser compartilhados com todos, seguimos com a missão de apresentar pedras preciosas disfarçadas de discos.

KIngTubbybyDaveHendley

Diretamente de Kingston, o Diário de Pedradas de hoje é com o engenheiro de som, produtor e uma das maiores lendas da música jamaicana. Não estamos falando de Bob Marley e seu legado de positividade espalhado no mundo durante as décadas de 70 e 80. A bola da vez de hoje veio antes, e já era chamado de rei. Quem vai controlar as frequências deste post e proporcionar uma viagem sonora a partir de agora, atendia pelo nome de Osbourne Ruddock, vulgo King Tubby.

King Tubby - Dub Gone Crazy - The Evolution of Dub at King Tubby's 1975-1979

King Tubby – Dub Gone Crazy, The Evolution of Dub at King Tubby’s 1975-1979 é uma compilação de produções de King Tubby e sua banda de estúdio, The Aggrovators. Muitas dessas faixas são versões de canções originais de mestres como Johnny ClarkeLinval ThompsonScientistPrince Jammy, entre outros. Coloque o capacete e aperte o play, que você vai entender melhor!

Se hoje os produtores e entusiastas musicais criam suas versões remixadas para músicas já lançadas, foi porque King Tubby já fazia tudo isso durante a década de 60. Daí vem o conceito de dublagens, ou seja, são remixagens de temas já gravados com a adição de ecos, delays, reverbs, explosões, cânticos, refrões; e tudo isso, analogicamente programado. Se você se diverte com os apps do seu iPhone, King Tubby se divertia com rolos e mais rolos de música.

King Tubby entendeu o que é o som no sentido científico. Ele sabia como os circuitos funcionavam e o que cada elétron era capaz de fazer. Por isso ele fez o que fez!” – Mikey Dread

Nunca mais teremos a oportunidade de prestigiar Osbourne Ruddock modulando suas frequências ao vivo. Infelizmente, King Tubby faleceu em fevereiro de 1989. Mas deixou ao mundo toda a sua obra dividida em compilações, coletâneas, LPs e nobres produções ao lado de nomes como Augustus Pablo, Lee Perry, Bunny Lee, Niney the Observer, Yabby You, Sly & Robbie, Larry Marshall, Harry Mudie e a galera toda responsável por montar e fazer o sistema de som tomar conta das ruas durante a golden era jamaicana.

O que nos restas dizer é um obrigado King Tubby, Jah bless!

Quer receber nosso conteúdo?
Receba a nossa newsletter

Receba todas as atualizações da SOUL ART!