fbpx

O ano de 1973 não foi um grande ano. Enquanto na França o mundo perdia Pablo Picasso e nos Estados Unidos partiam o mestre Bruce Lee e o genial Gene Krupa, no Chile morria o poeta Pablo Neruda e nascia a ditadura do general Augusto Pinochet. Em terras brasileiras, o governo Médici exercia forte repressão sobre estudantes, intelectuais e artistas considerados subversivos, naqueles que ficariam conhecidos como os “anos de chumbo” da Ditadura Militar no Brasil.

jorge

Entretanto, “pra não dizer que não falei das flores”, duas coisas boas aconteceram nesse “ano sem critério”, como escreveu Vinícius de Moraes no poema Breve consideração à margem do ano assassino de 1973. No dia 20 de fevereiro daquele ano, Ademir da Guia e a Academia do Palmeiras sagraram-se Bi-Campeões Brasileiros em cima do São Paulo, um de seus maiores rivais. A outra coisa boa de 1973, foi o Festival Phono 73.

Phono73

Organizado pela Phonogram (hoje Universal) no Palácio de Convenções do Anhembi, em São Paulo, o festival contou com os maiores nomes da música brasileira de todos os tempos, em performances antológicas. Sob os olhares atentos e repressivos da ditadura, passaram pelos palcos Chico Buarque, Caetano Veloso, Jorge Ben, Gilberto Gil, Vinícius de Moraes, Toquinho, Raul Seixas, Jair Rodrigues, Wilson Simonal, Erasmo Carlos, Jorge Mautner, entre muitos outros.

Para uma plateia de sorte, cada artista apresentou alguns sucessos e outras músicas não tão conhecidas do grande público, além de duetos históricos como Caetano e Odair José, Gal e Bethânia, Vinícius e Toquinho e Gilberto Gil, ora com Elis, ora com Jorge Ben. Este último encontro seria inclusive o embrião de um dos melhores discos da música brasileira, o transcendental Gil e Jorge, de 1975.

Entre os momentos marcantes do festival estão a apresentação de Caetano e Odair José, arrancando vaias e aplausos dos presentes, e o “cale-se” a Chico Buarque e Gilberto Gil, censurados pelos agentes da ditadura enquanto cantavam o hino político Cálice.

Inicialmente, o Phono 73 foi gravado e lançado em três LPs pela Phonogram e relançado há poucos anos em dois CDs (com os áudios originais em boa qualidade) e um DVD, que contém 35 minutos de imagens do festival. Para ver o vídeo completo clique aqui. Vale lembrar que o registro filmado mostra apenas uma pequena parte do Phono 73, o que deve gerar em você leitor o desejo urgente de escutar os discos, onde está a maior parte desse tesouro.

Quer receber nosso conteúdo?
Receba a nossa newsletter

Receba todas as atualizações da SOUL ART!