fbpx

Luan Magustero acabou de lançar um vídeo e agora você terá a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o trabalho dele. Com vocês, Porque fechamos os olhos (sua dança).

Porque fechamos os olhos
Madrugada, música, eu, …
Olho à escuridão e ela me olha profundamente
O que tocava no cômodo para
E começa soar daquele distante breu
E daqueles do outro lado
Sem diáfano também
Ninguém faz música, ninguém amanhece, ninguém cria
O amanhecer nasce da noite
E a noite nasce do âmago do ser
A essência nos toca
E então, fechamos os olhos
Lembre dentro de ti agora
O que te faz fechar os olhos
E o que a escuridão sempre guarda pra ti.
Sonhou?
Ah corações que trocam o dia pela noite!
Eu os amo!
Cante e dance para mim
Quando danças teu corpo entra no mundo atrás de ti:
Teus cabelos riscam e sobem do firmamento
Teus tornozelos pairam e voam na terra
E teus braços cobrem o vento e deitam no ar
São um, lugar nenhum
Então cante e dance de novo para mim
Porque já fechamos os olhos
E não quero mais pensar na vastidão
Para ser surpreendido
Para o vento, céu e terra
Doasse-me um presente sagrado:
Subisse do céu
Deitasse no ar
Caísse da terra
E que por ali voasse

LuanRoom

Nos conte um pouco mais sobre ti. Quem é Luan Magustero?
Essa pergunta me chega filosoficamente, mas não responderei no cerne desse pensamento. Luan Magustero é filho de José e Maria mas não é Jesus ahaha. Sangue de alemão, Italiano e português. Psicólogo, músico e escreve em seus cadernos sem pautas.

O que te inspira a escrever?
A própria palavra se inspira. É como se eu só me deixasse levar por ela. Eu não elaborou nada, eu não tento ser claro ou explicar um assunto, até porque quando preciso nomear uma escrita é a tarefa mais difícil, como se eu tivesse falando sobre algo, mas na verdade eu falo sobre nada, não tem assunto, é como se o todo fosse um.

Luan

Como funciona o seu processo criativo, simplesmente as palavras aparecem e você coloca no papel?
As palavras vem, e vão. E quando elas aparacem eu não as escrevo, eu as deixo irem embora, não tenho pressa. E quando elas voltam, voltam mais profundas, voltam com as palavras que devem ser faladas, pra realmente dizerem o que ali emergiu. Não há um processo. Não há nada. Não tento ser criativo porque isso é só você repetir o que já foi criado. E soa um tanto falso. Hoje um pensamento novo é raro como dizia um filósofo. Acho que a poesia pode ser uma dessas raridades.

E na parte musical, você compõe também?
Na verdade não consigo separar música de escrita. Sinto que escrevo porque ouço e toco músicas, e sinto também que só estou na música por causa da palavra. Quando ouço uma bela música instrumental o silêncio fala. E como fala!

Quer receber nosso conteúdo?
Receba a nossa newsletter

Receba todas as atualizações da SOUL ART!