Se uma imagem vale mais que mil palavras. 10 filmes sobre política valem milhares de aulas de História, Cultura e Sociedade.

Desde o seu nascimento, oficialmente em 1895, o cinema caminha lado a lado com diversos fenômenos sociais cujos resultados implicam, de maneira inerente ou não, aos costumes ditados pela e para a sociedade.

Respeitando cada época, a sétima arte projetou e refletiu o que o mundo clamava e transpirava enquanto guerras e transformações socioculturais faziam parte do dia a dia de Ocidente e Oriente. Com a política, portanto, não é diferente.

Sejam as posições mais conservadoras ou libertárias, sejam os pontos de vista panorâmicos ou extremamente subjetivos; a arte imita a vida e, dessa forma, o cinema construiu um panteão de grandes obras cujos temas englobam política em sua totalidade: os poderosos reflexos sociais que somente o cinema consegue imprimir em seus fotogramas.

É por isso que, em tempos em que a política conversa diariamente com o brasileiro, construímos uma lista tão poderosa quanto seu tema:

10 filmes sobre política para nunca mais esquecer…

10 – Adeus, Lênin! (2003)

Foto: Adeus, Lênin! (Filme)

Imagine um mundo em que você acorda após um grande acontecimento político e histórico. Este é o mote que dá início e discussão a Adeus, Lênin, filme alemão em que Christiane, mãe de Alexander, sai do coma após um ano em tal situação e, quando acorda, a ferrenha comunista quase se depara com um mundo em que o Muro de Berlim finalmente foi derrubado.

Se não fosse por Alex, sua mãe se traumatizaria a ponto de enlouquecer; para evitar isso, Alex faz de tudo para maquiar as mudanças do mundo, sejam elas no noticiário ou em seu dia a dia – o que torna todo o absurdo da situação irresistível do ponto de vista político, pois o mundo se mostra mais absurdo e o fanatismo político, igualmente incongruente.

9- O Último Rei da Escócia (2006)

Foto: O Último Rei da Escócia (Filme)

A vida do carismático e monstruoso rei de Uganda, Idi Amim, é retratada com suas diversas nuances neste drama em que o médico Nicholas Garrigan se transforma no responsável por sua saúde e, aos poucos, vivencia a mudança que existe entre o carisma de quem acabara de conhecer e a monstruosidade em suas ações.

E aqui temos o adendo da magnífica interpretação de Forest Whitaker, que rouba cada segundo de cena ao nos apresentar o retrato definitivo de um rei ditador.

8- Persépolis (2007)

Foto: Persépolis (Filme)

Esta animação é a forma poética de apresentar ao mundo a horrível história de uma garota que viveu sob o regime e a queda de um Xá e que presenciou as imposições dos rebeldes que, quiçá, se tornaram ainda pior do que seu predecessor.

É belo e muito bem-humorado, mas triste pelo horror apresentado em algumas situações que levam o espectador diretamente à realidade, sobretudo dentro de um regime em que as mulheres são constantemente subjugadas.

7- O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias (2006)

Foto: O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias (Filme)

Mauro é uma típica criança do Bom Retiro, bairro central de São Paulo, cuja vida é transformada quando é obrigado a ficar um tempo com seu avô paterno enquanto seus pais alegam que foram obrigados a sair de férias. Porém, alguns acontecimentos mudam o sentido da vida do menino enquanto o espectador acompanha as nuances da ditadura no ano da Copa do Mundo de 1970 e, de maneira doce sob a ótica de uma criança, nos joga em uma época em que muitos querem esquecer – mas que, mesmo assim, constantemente é ameaçada a retornar.

6- Milk – A Voz da Igualdade (2008)

Foto: Milk – A Voz da Igualdade (Filme)

Harvey Milk foi um dos pioneiros defensores dos direitos LGBT em plena década de 70, o que significa que passou pelas provações políticas e sociais de uma época em que a sociedade não aceitava os homossexuais e seus direitos – pelo contrário: eram escorraçados de quaisquer ocupações profissionais ou até mesmo culturais e, de tal forma, muitas vezes mortos pelas autoridades, que os julgava doentes. Milk foi autor de diversos discursos cujos ecos são, ainda hoje, fundamentais para explicitar os direitos humanos, sejam eles na cultura ou na política.

5- O Jardineiro Fiel (2005)

Foto: O Jardineiro Fiel (Filme)

Baseado na aclamada obra de John le Carré, O Jardineiro Fiel foi belamente adaptado para os cinemas por Fernando Meirelles, cuja responsabilidade aqui se mostra muito acima da média por nos apresentar a um filme com dramas pessoais muito bem delineados, focados no relacionamento de Justin e Tessa, mas, sobretudo, nas políticas adotadas pela indústria farmacêutica no Quênia e pelas atrocidades vividas pela população local, estimulada na ignorância a ser utilizada como cobaia para experimentos químicos.

4 – O Espião que Sabia Demais (2011)

Foto: O Espião que Sabia Demais (Filme)

Outra obra adaptada do original de John le Carré, este filme nos leva diretamente ao jogo de espionagem que acometia os Estados Unidos nos anos 70, quando o histórico do espião se mostrava cansado e, ainda assim, era necessário para a inteligência militar daquele país e de outros que participavam das artimanhas políticas – vide a Guerra Fria e suas consequências.

3- Invictus (2009)

Foto: Invictus (Filme)

A vida de Nelson Mandela a partir do momento em que assumiu a presidência da África do Sul e teve, como desafio, a imensa batalha contra a segregação e o histórico de ódio racial que separou o país por décadas.

Além disso, é visível a força de Mandela com seu discurso e carisma diante das atrocidades que seu país viveu e fez com o próprio, o que denota sua força diante de todas as adversidades e, dessa forma, o transformou em ícone político em todo o mundo.

2- Fahrenheit 11 de Setembro (2004)

Foto: Fahrenheit 11 de Setembro (Filme)

O documentário do polêmico cineasta Michael Moore nos leva aos acontecimentos de 11 de setembro de 2001 e, diante de sua câmera nervosa e questionamento ácido, recebemos diversas informações a respeito de possíveis acontecimentos que levaram às quedas das Torres Gêmeas do World Trade Center, em Nova York.

Independente do ponto de vista de Moore ser agressivo demais ou compassivo diante de tudo o que seu documentário nos apresenta, é uma obra necessária do ponto de vista narrativo e inquisitivo.

1- Cabra-Cega (2005)

Foto: Cabra-Cega (Filme)

Voltamos à ditadura brasileira, mas, desta vez, em uma obra crua, que nos leva diretamente aos anos de chumbo da ditadura e tudo o que eles representaram para a vida das milhões de famílias e suas gerações.

O ponto de vista de quem sofreu com a causa e que passou pelas atrocidades dos militares é esmiuçado em um drama cujo foco é a convivência de Rosa e Tiago, em um apartamento em São Paulo. Diante das possibilidades que crescem no cenário político brasileiro atual, este é um drama essencial.

 

Vale lembrar que, diante das infinitas opções, ressaltamos as obras feitas neste século, para conseguirmos afunilar o assunto e abrir espaço para que você comente com os seus filmes sobre política favorito. Na sua opinião, qual está faltando nessa lista?

Quer receber nosso conteúdo?
Receba a nossa newsletter

Receba todas as atualizações da SOUL ART!