Noite de rap: Projeto Control comemora 3 anos

Foto Eder Pimenta

Bem-aventurados os que gostam de rap, pois estamos vivendo uma época de ouro: esta foi a mensagem deixada pela Edição de 3 Anos do Projeto Control, celebrada no Clube Aramaçan, em Santo André, na noite quente do último sábado (24/08). Na festa em que a velha e a “nova” escola subiram ao palco, o público foi presenteado com o peso de três dos maiores talentos do rap nacional: Ogi, Slim Rimografia e Racionais Mc’s.

Projeto Control

© Vitor Ranieri / SOUL ART 2013

Cada um representando uma década, um estilo de fazer rap, mas todos no mesmo trilho. Prova disso nos versos de Ogi, que enquanto rimava a história de um homem sob o conflito da honestidade e da necessidade, chamava o público para o refrão “a vaga tá lá esperando você”, ou na track de Slim, que fechava a estrofe “Um sonho pra ter, uma razão pra viver, Viver pra fazer seu sonho acontecer” com o verso “Vivão e vivendo” – ambas as frases conhecidas de sons do Racionais.

Foto Gabriel Alexandre

Foram três shows inesquecíveis. O de Ogi, cujos refrões do disco Crônicas da Cidade Cinza (2011) foram cantados como clássicos, abriu a noite. Após as pedradas lançadas pelos DJs Marco e Rodrigo Silva manterem o público aquecido, foi a vez de Slim Rimografia subir ao palco, bem acompanhado por Thiago Beats – um dos destaques da festa, fazendo a plateia vibrar a cada sessão de beatbox como se fosse um gol – e a voz feminina da especialmente bela Karla Izalino. Limpe Seu Próprio Quintal ainda está ecoando na cabeça.

Foto Priscila Castilho

© Priscila Castilho / SOUL ART 2013

A essa altura o ingresso já tinha valido. Mas a cortina fechou, e quando abriu, o palco cheio anunciava que o Racionais estava na casa. Sob as luzes, os graves e a expectativa de fãs de várias gerações, Kl Jay, Edi Rock, Ice Blue, Mano Brown e a família executaram todos os hinos do repertório, fazendo o Aramaçan explodir ao som de Nego Drama, Vida Loka Pt. 1, Da Ponte Pra Cá, Diário de um Detento e demais clássicos.

Foto Priscila Castilho

© Priscila Castilho / SOUL ART 2013

Tudo isso misturado às mais recentes Mil Faces de Um Homem Leal – que fez a casa se transformar num mar de punhos fechados em continência a Carlos Marighela -, Mente do Vilão, Cores e Valores, além de parcerias funkeadas com Lino Krizz, e o hit solo de Edi Rock, That’s my Way, cantado em coro como no histórico show em que o cantor Dexter comemorou dois anos de liberdade.

Foto Rodrigo Dobbins

Assim como em todas as outras edições, o Projeto Control celebrou um rap forte, numa festa pela qual já passaram os maiores nomes da cena. Para a SOUL ART foi novamente uma honra poder registrar os resultados desse trabalho. Agradecimentos especiais ao Danilo Vovô, nosso parceiro, e à Agência Maker. O rap é fato, como diz Jamés Ventura, e está mais vivão e vivendo do que nunca!

Por destino ou por não ser nenhum craque no futebol, começou a escrever desde cedo. Deitado em um dos gramados do Museu do Ipiranga, conheceu A Tábua de Esmeraldas e o violão de Jorge Ben, encontro que o motivou a imaginar um futuro onde ouviria discos e escreveria sobre eles. Antes de ingressar na faculdade de Jornalismo, foi obrigado a trocar as salas de Ciências Sociais pelas fileiras do Exército Brasileiro. Gosta de sofrer com o Palmeiras, filmes coreanos e os chiados de sua vitrola Polyvox.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *