fbpx

ABORTO

Brasília, 1980, é uma época que eu particularmente gostaria de ter vivido. Chegados os anos em que a Ditadura começaria a se dissipar em migalhas, a mente da juventude que representava uma cidade inteira começava a borbulhar. Era o gás da Geração Coca-Cola.

Percebendo o poder de cada palavra e a força que tinham quando entrelaçadas, jovens saíam de suas casas para preparar o país para o que se tornaria uma verdadeira revolução musical. Aos que não gostavam, a regra era simples: fechem as portas e tapem os ouvidos, porque eles estavam lá e vinham armados com um enorme espírito de coletividade.

O que quase ninguém poderia imaginar, é que dessas músicas tocadas em fundos de garagens e prédios da Asa Norte, sairiam as vozes mais importantes do rock nacional e suas músicas seriam aclamadas como hinos por gerações inteiras. O rock de Brasília dava um tapa na cara da sociedade e cuspia com louvor no rosto dos “vermes que pensam que são reis”, instalados no afável Planalto Central.

Aborto Elétrico, Capital Inicial, Plebe Rude, Blitz 64, Detrito Federal, Legião Urbana e mais de 300 bandas jogavam sua voz ao mundo e seus medos no lixo, tornando a cidade não apenas uma indústria musical, mas palco para diversos gêneros que estavam se conhecendo, se aceitando e quase que nascendo de novo. Em meio às profissões comuns, surgiam os artistas, como uma válvula de escape para eles mesmos e para quem mais quisesse sentir todo o sangue fervendo, antes abafado pela repressão.

Anos depois, o país todo iria agradecer com orgulho toda a coragem dos jovens que queriam mudar o futuro da nação. As homenagens nunca mais parariam de surgir. E exatamente na cidade da garoa, no Vale do Anhangabaú, vai rolar o Festival de Música Urbana homenageando o Rock Brasília. Com apoio do Ministério da Cultura e do Banco do Brasil, o evento é de graça e tem as portas abertas pra quem quiser chegar e sentir um pouco do que foi essa explosão de letras e solos de guitarra.

A programação conta com as bandas Vespas Mandarinas, Cidadão Instigado, Plebe Rude, além das participações de Arnaldo Antunes e Marcelo Bonfá (ex-baterista e fundador da banda Legião Urbana).

música urbana

Inicialmente o evento estava marcado para os dias 31/08 e 01/09, porém, as datas foram alteradas e ainda não divulgadas. Quem quiser acompanhar a divulgação do evento pra saber quando vai rolar, pode acessar o facebook do CCBB.

Nós vamos avisar pela nossa página no facebook também!

Enquanto isso, dá pra ir conhecendo um pouco das novas vozes desse cenário!

Quer receber nosso conteúdo?
Receba a nossa newsletter

Receba todas as atualizações da SOUL ART!