Arquivo da Tag: Crônicas Urbanas

Crônicas Urbanas: A eterna arte

Sou seu artista. Ah o céu limpo, imenso azul, desanuviado! Tu és uma obra, e devo terminar-te, pintando e esculpindo, até tua plena beleza. Comecei te olhando: impossível minha feição manifestar normalidade. Corpos se unem, como o ar que me respira, de tão leve a nuvem que me suporta divagar. Beijo-te, sem saber como, deixo […]

Crônicas Urbanas: Para música as palavras

Para música as palavras, para escrever escuto. Noite lavradora. Logo um piano tocará, palavras escreverão. Logo minhas mão serão tomadas. Conhecemos o limite do coração, até sermos surpreendidos. Se aguentastes o frio, então podes com toda turvação do ser. Beijo não salva, aprofunda-te. Amor te salva da cura. Beije meus dedos, e aprofundo-os em ti até […]

Crônicas Urbanas: Tocar as folhas sem as mãos

Desculpe! Desculpem-me todos! Eu menti. Sei que a mentira leva para a orla, a um passo para o buraco do inaceitável. Mas eu fiz, fiz muito, faço todo dia, cada hora, em cada piscar. Eu toco estas folhas sem minhas mãos, pois elas fazem sonhando em tocar as palavras que se escrevem, e os resquícios do tesouro que […]

Crônicas Urbanas: Silêncio, canção e silêncio

Fotografia: Hudson Rodrigues | Texto: Luan Magustero Crônicas Urbanas: Silêncio, canção e silêncio (Adormeci, e ao meu lado violão. E antes do sono me apoderar, sonhei: à espera de um sopro. Dormi um sonho imemorável. Foi apenas escuridão, tocastes para mim silenciosa melodia, e que canção! Era fim de tarde e o crepúsculo se desnudava do […]

Crônicas Urbanas: A eterna despedida II

Fotografia: Isabela Gregório | Texto: Luan Magustero Crônicas Urbanas: A eterna despedida II És eterno, que não te desmanchas, mas te retornas. Rondei entre as folhas os olhos um fruto, a fome provastes a secura do inverno, e o viço da primavera de uma raiz sem paladar, iniciastes a circular no universo. Para descobri-te um […]

Crônicas Urbanas: Lugar nenhum da saudade

Fotografia: Gabriel Alexandre | Texto: Luan Magustero   Se o sol pode tanto clarear a profunda escuridão, e revelar teu sorriso, e a vida se mover subterraneamente silenciosa na raiz da terra com o impulso do vento, e te traz entregue por inteira, com teu delicioso perfume e dançando teus cabelos, então como posso eu […]

Crônicas Urbanas: Coreografia da boca

Fotografia: Andre Vicentini | Texto: Luan Magustero Há a felicidade do maravilhoso beijo sem segredo! Desde o primeiro, que nunca foi por baixo de um edredom, abafando a intensidade; o calor não vem do cobertor, é da luta do gozo do outro, da nudez da carne, da paixão, assim é: ah, receber um beijo que […]

Crônicas Urbanas: À ti flor

Foto: Luisa Santosa | Texto: Luan Magustero Se fosse eu flor? Vós olharíeis em demasiado e candonga. E não quantos entre vós me reconheceríeis morto boiar por ônus que não afoga. Grato criador! Desconhecido sou, não as pétalas. Minha impostura furaria espinhos, mãos sozinhas, minha vermelha lágrima choraria no dedo dela, pela desesperança em amalgama-las. Se fosse tu […]

Crônicas Urbanas: A eterna despedida

Foto: Isabela Gregório | Texto: Luan Magustero És sonho, que não te realizas, mas te desmanchas. Ó anjo, fostes embora, no lento caminhar, com um artelho asa ferida; não fostes a voar, na neblina amalgama e te desmanchastes, e te tornastes ela, e gris nada. Ó sonho que carregas meu amor! Moras no nevoeiro da saudade. Neblina és […]

Crônicas Urbanas: Quartos de hotel rendem boas histórias

Foto: Hudson Rodrigues | Texto: Chloé Pinheiro Quando cheirou o arroz velho na panela para ter certeza de que poderia comê-lo, Ronaldo nem imaginava que algo muito mais figurativo embrulharia seu estômago mais tarde. Às 17h30, fritou um bife de fígado acebolado na frigideira torta e manchada e comeu com arroz e um refrigerante barato, sozinho […]