Crowdfunding: A nova aposta do Samba

O samba tem aderido cada vez mais às plataformas de financiamento coletivo, os chamados “Crowdfunding”.

Companhia Alvorada busca financiamento para veicular musical em homenagem à Candeia / Foto: Osmar Moura

Se o samba pudesse, num devaneio, ser personificado e enquadrado nos padrões atuais, diria que ele é um senhor que relutou para criar um perfil no Facebook mas, depois de convencido, descobriu que é bem divertido – e rentável.

É notável que está se consolidando uma recente modernização do samba e do sambista no que diz respeito à internet e suas mais diversas funcionalidades. Ainda que tardiamente, é cada vez mais comum ver perfis de sambistas – figuras públicas ou não – nas redes sociais.

E, em virtude, talvez, desse mergulho no mundo moderno, muitos sambistas, coletivos e intérpretes estão apostando nas campanhas de financiamento coletivo para conseguirem por em prática os seus projetos de CD, DVD e até Musical.

Pensando nisso, listamos cinco campanhas que obtiveram êxito no financiamento e cinco campanhas que estão em andamento e precisam da sua ajuda.

Cinco campanhas de sucesso:

01 – O Samba bandido de Lello Di Sarno

Em 45 dias foram arrecadados R$18.000 para a produção do disco “O Samba bandido”, do sambista Lello Di Sarno.

02 – Nelson Sargento – 91 anos de samba

Foram arrecadados R$34.000 para a produção do CD comemorativo de 91 anos do sambista Nelson Sargento.

03 – Paulibucano: Primeiro disco de Toinho Melodia

Em 50 dias foram arrecadados R$30.000 para a produção do disco “Paulibucano”, do sambista Toinho Melodia.

04 – Primeiro disco de Léo Castro

Em 47 dias foram arrecadados R$6.200 para a produção do primeiro disco do sambista Léo Castro.

05 – Rosa Rosah, “É bom”

Em 50 dias foram arrecadados R$58.400 para a produção do disco “É bom”, da intérprete Rosa Rosah.

 

Cinco campanhas em andamento:

01 – É samba na veia, é Candeia

Em 56 dias a Companhia Alvorada busca arrecadar R$30.000 para veicular um musical em homenagem à Candeia.

Contribua clicando aqui.

02 – Tá com medo, Tabaréu?

Wilson Moreira busca arrecadar R$29.000 para a produção do disco de inéditas “Tá com medo, Tabaréu?”.

Contribua clicando aqui.

03 – Nilze Carvalho – Ao vivo

A intérprete e instrumentista Nilze Carvalho busca arrecadar R$60.000 para produção do seu DVD ao vivo.

Contribua clicando aqui.

04 – MOTUMBÁ, de Marcelo Amaro

Em 60 dias o compositor Marcelo Amaro busca arrecadar R$18.000 para a produção de seu CD “Motumbá”.

Contribua clicando aqui.

05 – Eu desço do salto 

A cantora Keila Regina busca arrecadar R$10.000 para a produção do seu EP “Eu desço do salto”.

Contribua clicando aqui.

Não da pra negar que o financiamento coletivo é uma excelente alternativa pra quem quer viabilizar um projeto que, por falta de capital, acaba ficando engavetado. Essa prática é amplamente utilizada no exterior e, aqui no Brasil, tem se tornado cada vez mais comum.

O sucesso ou o fracasso de uma ideia ficam depositados nas mãos do público que irá consumi-la ou não. É muito fácil contribuir e, no final, todos saem ganhando. Sonho que se sonha junto é realidade!

Escritor e compositor sob a alcunha de Dentinho Poesia, Yuri Dinalli é um paulistano apaixonado pelas idiossincrasias da terra da garoa e amante escancarado da cultura popular. Estudante de jornalismo, geminiano, roteirista e notívago, é também integrante do Terreiro de Compositores, movimento de sambas autorais que há 6 anos dá voz à música marginal.

1 Comentário para "Crowdfunding: A nova aposta do Samba"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *