Artistas de rua além dos clichês

Fotografia por Antonio Carlos

“Com deslumbre ou sensacionalismo, as histórias dos artistas de rua em geral são narradas reforçando clichês. Porém, não é só pelo centro da cidade, em locais como a Avenida Paulista, que esses artistas dão duro.

Além dos alegres domingos ensolarados nas famosas regiões endinheiradas da capital, eles estão espalhados, de segunda a sábado, por toda a Região Metropolitana de São Paulo, isso para falar somente da área que esse livro-reportagem abrange.

Nele, propomos uma abordagem das bordas para o centro, ou de fora para dentro da capital paulista, começando com São Bernardo e Suzano, até chegarmos à Praça Roosevelt, no miolo nervoso de São Paulo.”

Fotografia por Matheus do Val

É com esse trecho, retirado diretamente da contracapa desse livro ai da foto, que começo esse texto, ou melhor, essa coluna, que será dividida em seis partes, onde eu vou contar um pouco sobre cada capítulo do livro. Na verdade, esse é meu primeiro texto colaborativo para a SOUL ART, e é sobre meu livro-reportagem dedicado aos artistas de rua da Região Metropolitana e da cidade de São Paulo.

Esse livro é resultado de um Trabalho de Conclusão de Curso em Jornalismo e foi escrito ano passado (2016), em cerca de três meses (imagina a correria que foi!). Através dele, consegui mostrar um pouco do trabalho, rotina, vida e histórias de alguns artistas de rua, visto que a grande maioria das reportagens ou trabalhos acadêmicos tratam o assunto superficialmente, ora reforçando clichês, ora glamourizando a profissão. A escolha desse tema se justifica pelo fato de que, ainda nos dias atuais, grande parte dos artistas de rua enfrenta dificuldades pela falta de reconhecimento e divulgação de seu trabalho.

O tema veio à tona por conta, sobretudo, do debate detonado pelas leis e decretos que atingiram a atividade dos artistas de rua na capital paulista nos últimos anos. Com base nisso, comecei a pesquisar, vivenciar e entender que a atenção midiática e momentânea ao assunto na verdade escondia um universo muito maior de trabalhadores, ou batalhadores da rua, cujo verniz cultural verificável nas aparições via Avenida Paulista tem muito de poeira, correria, empenho, suor. Embora a arte de rua venha crescendo exponencialmente, a falta de valorização e reconhecimento do trabalho ainda é um dos grandes obstáculos enfrentados diariamente por essas pessoas. Muitas vezes eles têm que tirar dinheiro do próprio bolso para manter sua arte, pois seu trabalho não é reconhecido e muito menos apoiado por qualquer órgão cultural.

Fotografia por Luciano Marra

Por que ‘além dos clichês’?

Escolhi esse nome justamente porque, em um primeiro momento, ele chama atenção e gera curiosidade. A abordagem do livro, diferentemente da maioria das reportagens e trabalhos que são feitos, começa através das minhas andanças pela cidade, e fora dela também. Busquei artistas que se apresentam além do eixo Paulista-centro, mostrando a dificuldade que grande parte desses artistas, que ficam em locais mais afastados, ainda tem em trabalhar nas ruas e a falta de reconhecimento e apoio, contrastando com o amor que eles têm por sua profissão e pela escolha em estar nas ruas.

Assim, o objetivo do livro-reportagem é exatamente fugir do clichê de que os artistas estão somente nas regiões centrais e mostrar, de uma forma mais abrangente, seu trabalho pelas diferentes regiões da capital paulista, começando pela Região Metropolitana. Para isso organizei os seis capítulos do livro de forma que o leitor comece conhecendo a realidade a partir das bordas da capital paulista. Começo tratando da articulação de artistas na Região Metropolitana de São Paulo, depois passo para uma artesã de um bairro distante do centro, para em seguida embarcar nos ônibus da cidade atrás de um palhaço e finalmente encerrar o passeio no ponto mais badalado para esses profissionais, no espaço entre a Avenida Paulista e as ruas e praças do centro da capital.

Como comprar?

O livro possui dois formatos: o físico e o digital (ebook) e custam, respectivamente, R$ 25,00 e R$ 5,00. O livro digital também está à venda no site da Saraiva e da Editora Casa Flutuante. No site da editora é possível escolher um dos dois formatos.

Para quem se interessar e quiser adquirir uma cópia, a página do facebook com maiores informações, fotos e trechos do livro é: facebook.com/artistasderuaalemdoscliches, e lá também é possível entrar em contato com os artistas que fizeram parte do livro.

Fotografia por Geraldo Magela

“Os grandes artistas são aqueles que impõem à humanidade a sua ilusão particular” (Guy Maupassant.)

 

Paulistana, 25 anos, jornalista, apaixonada por livros, teologia e medievalismo, pisciana louca dos cristais e neopagã. Funcionária pública durante o dia e escritora nas horas vagas em seu blog pessoal Condado Encantado, onde aborda temas como paganismo, mitologia, simbologia, esoterismo, oráculos, teorias conspiratórias, entre outros. Em 2016 escreveu seu primeiro livro, resultado de um Trabalho de Conclusão de Curso, sobre artistas de rua. Gostou tanto da experiência que já está pensando nos próximos.

2 Comentários para "Artistas de rua além dos clichês"

  1. Pingback: Artistas de rua além dos clichês - Parte II: Fernando Machado, Luiz Ficco e Bagunçarte - SOUL ART

  2. Pingback: Artistas de rua além dos clichês – Parte III: Priscila, artesã! - SOUL ART

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *