Crédito: Foto divulgação

Divulgação

O Cadastro Nacional de Museus, o CNM, já mapeou mais de 3.200 instituições museológicas em todo o país, são dezenas de museus só aqui em São Paulo. E por falar em São Paulo, tem muito paulistano que nunca ouviu falar do Museu Afro Brasil, ali pertinho, no Parque do Ibirapuera, voltado exclusivamente para aspectos dos universos culturais africanos e afro-brasileiros, abordando temas como a religião, arte, escravidão, a trajetória histórica e as influências africanas na construção da sociedade brasileira.

E isso não pode acontecer, né gente? Nada mais enriquecedor do que falar sobre a história do nosso povo!

Crédito: Foto divulgação

Divulgação

O Afro Brasil foi inaugurado em 2004 a partir da coleção particular do diretor curador Emanoel Araujo. E nesses 15 anos, com um acervo de mais de seis mil obras e uma biblioteca de cerca de doze mil títulos, o Museu Afro Brasil em muito contribuiu para a valorização do universo cultural brasileiro ao revelar a inventividade, a ousadia, a criatividade, a memória e também a luta de artistas brasileiros e internacionais, desde o século XVIII até a contemporaneidade.

Consolidado como uma grande expositora, desde 2009, o museu, é uma instituição pública, vinculada à Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, que administrado pela Associação Museu Afro Brasil – Organização Social de Cultura, é subordinado ao Governo do Estado de São Paulo.

Crédito: Foto Divulgação

Divulgação

ÁFRICA AFRICANS

E já está para acontecer a maior mostra de arte africana contemporânea já realizada no Brasil, a ÁFRICA AFRICANS no Museu Afro Brasil.

A abertura está marcada para o dia 25 de maio, Dia Internacional da África, e vai delinear um panorama da recente criação visual do continente. A exposição revelará a pluralidade por meio de diferentes suportes e linguagens, como pinturas, esculturas, vídeos, instalações e obras interativas. São 100 obras e 20 artistas expositores.

Um dos maiores destaques da Africa Africans fica por conta da obra “British Library”, do artista plástico nigeriano-britânico Yinka Shonibare MBE. Nascido em Londres em 1962, Shonibare foi criado na Nigéria e voltou para capital inglesa para estudar Artes, dando início à sua trajetória artística. Sua instalação é formada por 6.225 livros coloridos encapados por tecidos dutch wax – conhecidos como ‘tecidos africanos’, mas fabricados na Holanda com uso de técnicas inspiradas na arte milenar do batik indonesiano.

Crédito: Foto divulgação

Divulgação

SERVIÇO

Abertura da exposição

25 DE MAIO – 19h
Vai até até 30 de agosto

Museu Afro Brasil

Av. Pedro Álvares Cabral, s/n
Parque Ibirapuera – Portão 10
São Paulo / SP – 04094 050
Fone: 55 11 3320-8900
www.museuafrobrasil.org.br

Quer receber nosso conteúdo?
Receba a nossa newsletter

Receba todas as atualizações da SOUL ART!