Agosto, mês do desgosto, do cachorro louco, da zica braba e também mês em que, se estivesse vivo, Nelson Rodrigues completaria 100 anos. O “anjo pornográfico”, obsceno, imoral e famoso por tratar em suas peças e textos do amor, sexo, traição, morte e paixão de um jeito cru e doído recebe uma série de homenagens esse mês em São Paulo. Fala sério, um cara tão brilhante que ganhou uma palavra para descrever seu jeito “rodrigueano” de escrever merece.

Uma delas é o show “Foi Assim… A Música de Lupicínio e a Dramaturgia de Nelson Rodrigues”, que acontece amanhã na Galeria Olido, centrão da cidade de São Paulo.

O espetáculo intercala trechos do autor com músicas de Lupicínio Rodrigues, compositor que, além de dividir o sobrenome, era um dos favoritos de Nelson. Lupicínio, conhecido como Lupi entre os amigos, era um sambista fora do eixo Rio-São Paulo, lá de Porto Alegre e criou o termo “dor-de-cotovelo” para designar as músicas que falavam desse sofrimento danado que é o amor. É possível traçar uma comparação entre os dois, não só no mote central de suas obras, mas na poesia e na vida boêmia que ambos levavam.

Lupicínio, além de ter composto o hino do Grêmio, time do coração, ganhou a maior parte da sua fama com a música “Se acaso você chegasse”. Regravada por Elza Soares – além de outros tantos – nos anos 1960, a letra conta a história de um cara que pegou a mulher do amigo. Sente o drama, em uma versão cantada pela própria Elza, mais Elis e Jair Rodrigues:

Voltando ao evento de amanhã, a montagem conta com interpretação das músicas pela cantora Edith Veiga e leitura pelo sempre polêmico e maluco Paulo César Pereio e a entrada é grátis! Corre lá!

SERVIÇO:
Quando: 04/08 – 18:00
Onde: Galeria Olido – Avenida São João, 473 – pertinho do metrô República e da Galeria do Rock
Quanto: GRÁTIS mané!
Para conferir a programação completa das homenagens, que foram batizadas de “Agosto Cem Nelson”, clica aqui.

Quer receber nosso conteúdo?
Receba a nossa newsletter

Receba todas as atualizações da SOUL ART!