Uno e versos

Texto por Valter de Moraes | Fotografia por Hudson Rodrigues

As férias começaram, e a necessidade de descanso levou-me mais uma vez a um equívoco. A vã tentativa de recuperar tantas horas de sono com exageros prendeu-me na cama até muito mais tarde, e o nada que passou na tevê — em todos os canais — parecia realmente interessante.

E cada dia foi passando sem que eu replantasse aquelas mudinhas que dependiam de mim, o banho nos cães, os passeios curtos em família, o sol bonito nascendo e se pondo, a lua clareando as noites… Tantas pequenas coisas…

Foi já cansado de tanto evadir-me de mim mesmo que liguei o computador. Era uma sensação de embriaguez, como a de um homem que, já distante de si, insiste na “saideira”, na esperança de que esta o traga de volta à consciência.

Verificando a correspondência, no meio das correntes, de tantas ofertas e promoções, um lembrete: “Nesta semana, … de seus amigos fazem aniversário. Escreva para eles”. Nem todos daquela lista eram meus amigos. Nem todos… Mas havia certamente alguns, a quem eu gostaria de… “dizer”. O pretexto do aniversário sempre é perfeito para dizermos às pessoas que as amamos. Mal escrevia e já recebia a resposta, tudo com a rapidez que a informática gosta. Fui, então, reencontrando-me com algumas pessoas e reencontrando em mim mesmo uma maneira… de cuidar da vida.

A vida está em mim, antes de eu poder percebê-la no outro, nos lugares. É cuidando da minha alma que meu corpo ressentirá dos cuidados, e é só atingindo o outro que poderemos cuidar juntos da casa em que vivemos…

Aprender a dizer o que sentimos é conquista da maturidade. Ela, que nos reaproxima de nossos pais, de nossas origens, de nós mesmos. Ela, que cai sobre nós como a cerração desses dias de inverno e nos lembra que talvez já tenhamos vivido mais da metade do tempo que há…

Com palavras e silêncios, com gestos e sorrisos, com ações e consciência… Nas aulas, nos exemplos, nos livros e nos e-mails, nas mensagens de celular, no vento!… Não há melhor maneira de cuidar da vida que passa do que cuidar da alma da humanidade espalhada nos nossos próprios corações.

Presas nas formalidades, as palavras mais espontâneas não podem surgir. Açoitados por “prezados” e “caros”, os irmãos não podem fluir. Sufocada na incerteza do “o que vão pensar…”, o sentir presente se cala. Sob a ditadura dos fones de ouvido, as pessoas se esbarram mudas como se se provocassem umas às outras.

E a vida vai passando diante dos nossos olhos, feito um rio poluído que carrega mágoas e arrependimentos, culpas e mudezas…

“Não disse o quanto eu o amava…”

“Não disse num abraço que eu estava lá…”

“Não disse numa mensagem que minha casa era sua…”

“Não disse que queria sua companhia porque…”

“Não disse…”

“Não… diss…”

“Ssss… ssss… sss… ss…”

A depressão é o câncer que nos vai matando aos poucos. Nossas crianças deixam de brincar, nossos jovens perdem o melhor da festa, e nós… bem, nós estamos viciados na confusão.

Assumimos o catastrofismo destes dias com muita facilidade, e até que queremos crer no fim dos tempos. É mais cômoda a impressão de que o inominável vá nos destruir irremediavelmente: o problema é grande e complexo demais… e não se resolverá por si, nem ocorrerá com a rapidez com que nos acostumamos…

Jamais pude imaginar que a frieza de um computador pudesse me provocar a cuidar da vida, como aconteceu. É porque, na realidade, não foi ele. Foram as pessoas, sempre elas… “o uno nos versos da multidão”, assim diria Rohden.

Não sei o que farei amanhã — não importa. Talvez nem amanhã haja, mas hoje, agora, tenho planos: há que se replantar aquelas mudinhas, o banho nos cães, os passeios em família, o sol bonito nascendo e se pondo, a lua clareando as noites… Tantas pequenas coisas de cuja falta me ressentirei…

“FuTuRo” é o nome que isso tem…

"Um caipira pleno", como se autodenomina, Valter de Moraes é natural de Biritiba Mirim. Formado em Letras e Pedagogia, dedicou 30 à Educação, lecionando Português e Relações Humanas nas mais diversas realidades do ensino. Atualmente, além de professor no ensino médio e técnico, atua como palestrante, consultor de Língua Portuguesa, escritor e celebrante, ou seja, onde quer que possa exercer e demonstrar seu amor... à palavra.

28 Comentários para "Uno e versos"

  1. Suas palavras dizem muito…conseguem traduzir aquilo que pensamos e sentimos. Essa sensibilidade para transformar o simples em maravilhoso não é tarefa fácil. Sempre que leio, causa o impacto de uma primeira vez. Parabéns!!!!!!

  2. Simplesmente Valter…. Poucos são os que conseguem encontrar a beleza no simples…. Você vai além! Pois além de deixar o simples magnífico direciona nosso olhar a enxergar com o coração! Parabéns por essa nova fase e certamente pelas novas conquistas que chegarão!!

  3. Enxerguei a mim em seu belíssimo texto…e o melhor é saber que um escritor de sua magnitude e profundidade esteja tão próximo de mim, minha família e realidade; embora eu seja de uma caipirice que vai além dos limites…rs
    Só posso agradecer ao Universo por proporcionar encontros como o que tive com vc e sua linda esposa, minha grande amiga.
    Que orgulho tê-los por perto!
    Parabéns Valter! Que seu dom se propague aos 4 cantos, pois precisamos muito de suas palavras!

  4. Muito Black Mirror, hein, prof°? Bastante crítico e avesso à pós-modernidade. Gostei. hahaha

    Obrigado por tudo! esse ano começo a estudar relações internacionais graças a ti, entre todos os professores que me ajudaram a conquitar isso. Vou acompanhar seu trabalho sempre que possível. Porque reconheço que além de um grande professor, tem aí uma grande pessoa.

    Abraços.

  5. Incrível como você pode escrever algo tão bonito com tanta simplicidade.
    Muito lindo.

    Saudades eternas de você, Valtinho.
    Um grande abraço!

  6. Não há complexidade no dizer. Há, sim, um componente de coragem, mas não há complexidade… Amiúde, a beleza vem da interação, do grau de generosidade que existe entre os interlocutores. A Beleza se constrói na interação! Daí a simplicidade… Eu disse, da mesma maneiraque vocês também estão…tornando minha alma cheia de gratidão!… muito obrigado mesmo! Com verdade!…

  7. Maravilhoso…. agora podemos ter um pouquinho mais de vc perto de nós…. assim podemos matar a saudades…sucesso!!!!

  8. Valter,

    Sensacional, é a única palavra que consegue abranger um pouco do que eu estou sentindo ao terminar de ler esse texto, aliás uma palavra que aprendi a usar com você professor, esse texto me deu um gostinho de quero mais, é uma leitura prazerosa e poucos livros ou textos me dão vontade de ler mais, mas com esse foi diferente….

    Parabéns por mais essa conquista, ao falar desse texto na sala os olhos do senhor brilhavam, acredito que esse brilho significava orgulho, orgulho de fazer um trabalho SENSACIONAL!!

    Amei a reflexão, espero em breve poder ler mais textos, assim como esse que me de vontade de ler outras coisas, assim como suas aulas, que sempre disperta nossa curiosidade para ir ao mundo e enfrentá-lo, esse seu jeito sincero e ao mesmo tempo aquele jeito de VOCÊ CONSEGUE, NÃO DESISTE, o apoio que o senhor nos da !!
    Beijos
    Ass, Lohany

    E TAMBÉM ..

    Temos duas palavras ADMIRAÇÃO e GRATIDÃO !

    Eu te admito pelo homem que o senhor é e te agradecemos por tudo que o senhor tem feito por nós como sala !!

    Estamos orgulhosos !!!
    Ass, 3º Ano do ensino Médio A

    • Grande Valtinho!
      Suas palavras chegam na alma, mexem no baú dos conflitos interiores e aliviam algumas dores.
      Palavras certeiras, espécie de terapia “palavreada”.
      Parabéns, amigo!

  9. Valter externando em seus textos, momentos e sentimentos, sabendo observar e transformar em palavras o que os olhos podem ver e o coração sentir.
    Muito sucesso Valter. Beijão

  10. Ao ler esse texto me bateu uma saudades dos seus textos nas provas, da homenagem na minha formatura que já faz dois anos. O tempo passou tão rápido que as vezes esquecemos de valorizar as pequenas coisas do dia… Como aprendi em uma peça ” Viver é pra já”!

  11. Agradeço a Deus por ter permitido que, minha vida encontrasse com a sua. Foi maravilhoso ser sua aluna, suas aulas encantavam a todos, principalmente, pelo amor que transbordava a cada conhecimento que compartilhava. Era notável que você fazia e faz, da sua profissão, uma forma de ser mais feliz. Foi graças a você que hoje sou uma amante das letras. Muito obrigada professor, eterno mestre.
    Quanto ao texto… Nossa!!! Perfeito, maravilhosamente poético e inspirador, como tudo que escreve. Muito obrigada!!!

  12. Certeiro nas palavras e nos sentimentos despertados em quem lê “Valtinho”.
    Suas palavras deslizam na alma, reviram o baú das emoções e chacoalham a razão.
    É um mergulhos em nossos conflitos emocionais, uma terapia amiga.
    Parabéns, amigo!

  13. Parabéns amigo ! Seus lindos textos acariciam a alma , dizem tanto de nós…. Despertam os sentimentos que temos em comuns, entre eles, a beleza pela simplicidade ! Obrigada por compartilhar conosco ! Bjus

  14. Grande sensibilidade e habilidade em captar as inquietações e devaneios da alma com maestria. Parabéns!

  15. “Não sei o que farei amanhã (…) Talvez nem amanhã haja”. Lembrei do filme “Crônica de um amor louco”. Palavras sábias meu caro…como de costume! Obrigado por me fazer refletir tirando-me da distração dá rotina!
    Abraços

  16. Valter, esta nova empreitada será mais um sucesso pois, você sempre foi e é persistente em manter-se atualizado na sua profissão .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *