Na Vitrola: José Mauro – Obnoxious

Gravado no Estúdio Oden e distribuido pela Quantin em 1970, José Mauro e Ana Maria Bahiana passeiam por toda espiritualidade e calmaria dentro deste planeta chamado Obnoxious.

José Mauro

É raro encontrar informações sobre o disco e principalmente sobre a vida e obra de José Mauro, dizem que ele lançou dois discos Obnoxious Viagem das Horas.

Obnoxius se assemelha ao mais sofisticados grau de Edu Lobo, passeios diferenciados, com o tipo de orquestração complexa e melodias que giram de forma calma na nossa cabeça.

Sua voz triste, no entanto, é diferente da maioria dos seus futuros colegas, dando à música uma atmosfera pessimista capaz de complementar perfeitamente o apoio musical.

A música é distintamente brasileira, mas diferente dos caminhos estabelecidos naquela época, tanto quanto agora. Adequadamente executada pelos músicos, José Mauro tem um barítono melancólico e confiante. Há passagens em que a música parece atingir um estado de êxtase, com mudanças lentas e acordes impressionantes.

Como pode um homem tão jovem poder chegar nessas profundidades? Há uma aura de inocência. A grandeza deste disco transcende as limitações e alcança o nível da verdadeira arte.

Hoje em dia ele é considerado um dos registros mais raros do Brasil. E como o álbum não é exatamente o tipo de música que você poderia esperar para ouvir em qualquer lugar – sua beleza se desenrola após repetidas audições – há motivos para temer que este grande álbum continue sua hibernação nas catacumbas de uma gravadora que prefere ignorar esta jóia.

- Músicos:
José Mauro e Geraldo Vespar (guitarra), Dom Salvador (órgão, piano), Sebastião Marinho (baixo), Wilson das Neves (bateria), Paulo Moura (Sax), Maurilo (Trompete), Altamiro Carrilho (flauta), Rildo Hora (Harmonica), Juquinha e Mamão (percussão), Roberto Quartim (cordas).

Produção e Direção: Roberto Quartin
Técnico de Gravação: Jorge Texeira
Remixagem: Roberto Quartin
Estúdio: Odeon
Corte: Ary Perdigao
Programação Gráfica: Colasanti & Pontual
Fotos: Alexandre de Souza Lima
Notas da contra capa: Ana Maria Bahiana

Vai que é gol!

Cresceu jogando "Três dentro e três fora" nos portões dos vizinhos e fazendo música no barracão de sua avó, no nobre e acolhedor bairro de Camilópolis em Santo André. Aí veio o gosto pela arte: hipnótico por qualquer tipo de som bom já feito na Terra, independente do estilo, gênero e grau. Manja o Alejandro Jodorowsky? Então, ele queria ser o alquimista do movie A Montanha Sagrada e o cuiqueiro do disco África Brasil, cultivando sempre a agricultura celeste.

  • http://soulart.org/ Gabriel Alexandre

    Baixe o disco aqui: 4shared.com/rar/HThffM0W/Jos_Mauro_-_Obnoxius.html?

  • http://SoulArt Nalesso
  • http://www.facebook.com/arnaldotifu Arnaldo Tifu

    bora baixar . #ARimaNuncaPara.

  • Victor Pessoa

    NALESSO, cuzão. Pare de espalhar vírus.

    • Nalesso

      esse virus é perigoso.

  • EMERSON R DA SILVA

    JOSÉ MAURO É MEU AMIGO . BEBEMOS JUNTOS TODOS OS DIAS . QUEM QUISER UM AUTÓGRAFO……SÓ TRAZER O VINIL .

  • Diego Monge

    Muito bom o texto, e realmente lembra um pouco do Edu Lobo, tem um outro artista que é bem obscuro é o Hareton Salvanini, procure saber sobre esse cara, é outro cara foda, porém pouco conhecido das pessoas.

    Consegui comprar uma cópia desse disco, uma reedição da “Far Out” que é excelente, e também tenho o compacto original de época, fiquei por vários meses ouvindo ele incansavelmente.

    Também queria mais informações sobre ele, e a musicas do disco “Viagem das Horas”, sabe-se que ele morreu em acidente de carro depois de uma sessão de estúdio e a gravadora prendeu o lançamento.

    Parabéns novamente pelo texto, e bora disseminar cultura.

    Abraços